Foliões depredam equipamentos da estação de trem em Nilópolis

Por volta das 3h desta quarta-feira (10/02), um grupo de adolescentes depredou diversos equipamentos da estação Nilópolis (ramal Japeri). O grupo destruiu acrílicos de portas e janelas de um trem-escola (projeto realizado em parceria com a prefeitura do município), que estava vazio e estacionado em uma das plataformas da estação, além de terem destruído lixeiras, painel comercial e catracas de acesso. O Centro de Controle Operacional da SuperVia acionou, imediatamente, o Grupamento de Policiamento Ferroviário (GPFer) para garantir a segurança do local. Três suspeitos foram presos e levados para a 52ª DP (Nova Iguaçu). A concessionária também enviou técnicos para se certificar que a ação irregular não impediria o funcionamento dos aparelhos que são essenciais para a prestação do serviço.

Durante os dias de folia, a concessionária registrou outras ocorrências envolvendo atitudes irregulares de foliões. Na noite da última segunda-feira (8 de fevereiro), o confronto entre grupos de fantasiados de “bate-bolas” e de “bruxas” assustou passageiros na estação Madureira, que atende aos ramais Deodoro, Japeri e Santa Cruz. Algumas pessoas dos grupos desembarcaram na estação Cascadura e foram abordados na área externa por policiais militares do 9º BPM. Não houve registro de feridos, nem de bens depredados no interior do sistema ferroviário durante esta ocorrência. Já entre a  tarde e a noite do último sábado (6 de fevereiro), o GPFer precisou ser acionado para impedir que alguns foliões pulassem as catracas para acessar a estação Central do Brasil. Eles ignoraram a orientação dos agentes de controle presentes no local e ameaçaram agredir os funcionários.

A empresa esclarece que, de acordo com o contrato de concessão, a segurança pública dentro do sistema ferroviário é de responsabilidade do Governo do Estado, que atua nas estações e trens por meio do Grupamento de Policiamento Ferroviário (GPFer). A Secretaria Estadual de Segurança Pública tem auxiliado no reforço das rondas ao longo do sistema. Além disso, a SuperVia contrata reforço policial através do Programa Estadual de Integração de Segurança (PROEIS). Agentes de controle atuam, ainda, nas estações e trens com o objetivo de orientar e prestar assistência aos passageiros, mas não têm poder de polícia.

Fonte: SuperVia, 11/02/2016


  



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima