Malha de passageiros pode dobrar até 2018

Com 22 projetos bastante adiantados, grande parte já em licitação/execução, o Brasil pode vir a dobrar sua malha metroferroviária de passageiros até 2018. São 1.136 km em novos projetos de trilhos, que incluem metrôs, VLT, monotrilho e trens regionais.

Apesar de ser um transporte sustentável, seguro, rápido, eficiente e regular, no passado o sistema sobre trilhos não foi devidamente valorizado no planejamento urbano de nossas grandes e médias cidades. Agora, o sistema está ganhando força e os projetos estão sendo apresentados.

Entretanto, para que se tornem uma realidade é preciso que os projetos sejam efetivamente implantados. Isso porque projetos não executados, infelizmente, não ampliam a capacidade de deslocamento em nossas cidades, não aumentam a mobilidade e não garantem um serviço de transporte adequado ao cidadão. É necessário tirar os projetos do papel e torná-los realidade, buscando contribuir de forma efetiva para a mobilidade e sustentabilidade de nossas cidades.

É preciso concretizar os investimentos previstos para a expansão dos sistemas, para o aumento da frota e sua modernização. Atualmente no Brasil há 63 médias e grandes regiões metropolitanas e só 12 possuem algum tipo de sistema de transporte de passageiros sobre trilhos. Dada a atual taxa média de crescimento da população brasileira, até 2016 mais oito regiões se integrarão a esse rol, o que ensejará um melhor planejamento no que tange à questão da mobilidade.

Por essa razão, a Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos), trabalhando de forma integrada com entidades, operadores dos
sistemas e com a indústria metroferroviária, defende, como ponto central, a ampliação dos investimentos no setor.

Fonte: ANPTrilhos, 05/06/2013  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima