Vista ao Ministro

Na incessante busca de melhor qualidade de vida para os ferroviários e pensionistas, foi realizada em 25/06/2013, às 14 horas uma reunião com o Exm°.  Sr. ministro de Estado dos Transportes, engenheiro Cesar Borges.

Estiveram presentes à reunião o Diretor Geral do DNIT General Jorge Ernesto Pinto, o Deputado Anthony Garotinho, líder do PR na Câmara, o Engenheiro Deputado Paulo Feijó – PR, o presidente da AEEFL  Almir Ferreira Gaspar, o presidente da AENFER Luiz Lourenço de Oliveira, o presidente da AELB Clovis Luis Alves Soares, o engenheiro Manoel Geraldo Costa, representando o Sr. Nelson Cruz, Presidente da Associação dos Aposentados da RFFSA, o engenheiro Sérgio Messeder, representando a presidente da FAEF, Clarice Soraggi e Adaulto Alves, representando os presidentes da Mútua, Raimundo Neves de Araújo e da FNTF, Hélio de Souza Regato.

 

 

 

 

 

Os trabalhos foram abertos pelo Deputado Paulo Feijó que, após as apresentações, fez um breve relato sobre a situação dos ferroviários e da ferrovia no país, seguido pelo Deputado Anthony Garotinho que, igualmente, manifestou apoio aos anseios dos ferroviários.

O presidente Almir Gaspar agradeceu ao ministro pela calorosa e simpática acolhida e relatou suas aflição quanto aos destinos da ferrovia e dos ferroviários do país. Informou da mão de obra ociosa dos ferroviários da ativa e aposentados que poderia ser utilizada na nova modelagem institucional, na construção e operação das ferrovias. Informou também sobre a situação caótica das concessionárias dos serviços de transporte ferroviário de cargas e o abandono, dilapidação e invasão dos bens da extinta RFFSA. Acrescentou, solicitando ao ministro, uma atenção especial quanto ao salário dos ferroviários da extinta RFFSA, que hoje é o pior de todo o sistema ferroviário e solicitou apoio para criação de uma Comissão Paritária, com representantes da União e da classe ferroviária, visando atualizar a tabela salarial dos ferroviários, que acumula uma perda de aproximadamente 50%.

A criação dessa Comissão consta da pauta do Acordo Coletivo de Trabalho 2013/2014, ora em discussão.

O ministro mostrou-se sensível aos nossos anseios mostrando-se, inclusive, perplexo com nossa situação salarial, prometendo empenho para corrigir esta absurda injustiça.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima