Governo adia licitação do TAV

O ministro dos Transportes, César Borges, e o diretor-presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, anunciaram na tarde desta segunda-feira (12/08) que a licitação do Trem de Alta Velocidade ligando Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas está adiada. O anúncio foi feito durante uma coletiva de imprensa no Ministério dos Transportes, em Brasília (DF).

Durante o anúncio, os representantes do governo não fixaram nova data para entrega das propostas e leilão. Segundo a assessoria de imprensa do Ministério dos Transportes, a retomada do projeto deve ocorrer no ano que vem e a previsão de início de operação do TAV está mantida para 2020. O próximo ano, 2014, é ano eleitoral e para que o projeto possa ter andamento, a assinatura do contrato deve ser feita até março.

Segundo apurou a Revista Ferroviária, o leilão tinha somente dois grupos interessados, o francês (liderado pelas empresas Alstom e SNCF) e o espanhol (Renfe, Talgo, Adif, Indra, Ineco, Invensys e Bombardier). Na última sexta-feira (09/08), o consórcio espanhol anunciou que preferia o adiamento e que precisaria de pelo menos mais dois meses para entregar uma proposta sólida.

“Depois de muitas conversas e entendimentos com os prováveis participantes, sentimos que o certame caminhava para apenas um participante. E os outros prováveis participantes, concorrentes, solicitavam o adiamento do processo. Solicitaram mais tempo para formar seus consórcios, declarou o ministro dos Transportes na coletiva de imprensa.

A entrega das propostas do TAV estava marcada para a próxima sexta-feira (16/08) e o leilão para 19 de setembro.  A licitação iniciou em 2010 e desde então vem sofrendo adiamentos.

Fonte: Revista Ferroviária, 12/08/2013

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima