Supervia diz que vandalismo piora serviço de trens

O diretor de manutenção da Supervia, Oberlan Calçada, informou nesta terça-feira (17) que fatores externos têm impacto na qualidade do serviço oferecidos aos passageiros dos trens no Rio de Janeiro.

De acordo com a empresa, 13 composições foram retiradas de circulação por causa de depredações e incêndios causados por usuários.

Calçada disse que 1200 portas dos trens  são consertadas por mês, por causa do uso irregular de objetos para manter a porta aberta com o trem em movimento. De acordo com a Supervia, só este ano já foram trocados mais de 90 parabrisas blindados a um custo de R$18 mil.

Na oficina no bairro do Santo Cristo, na Zona Portuária do Rio, estão algumas das nove composições  que ainda estão sendo reparadas, como mostrou a reportagem do RJTV.   A concessionária  informou que o sistema será modernizado nos proximos dois anos.

A empresa informa que este ano foram registrados 281 furtos de cabos. Eles entregaram imagens para a polícia  que registram locais onde ocorrem depredações.  A concessionária informa que são arremessadas pedras, tênis e outros objetos nos cabos elétricos,  o que derruba o sistema.

Levantamento divulgado pela Agência Estadual de Transportes (Agetrans) aponta aumento de 25% no número de ocorrências com os trens da Supervia, no período entre janeiro e a última sexta-feira (13), em comparação com o mesmo período de 2012.

Clique no link abaixo e assista a reportagem:

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/09/supervia-diz-que-vandalismo-contra-sistema-piora-servico.html

Fonte: G1 Rio, 17/09/2013

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima