BNDES financia investimento da Supervia

O BNDES aprovou empréstimo de R$ 1,650 bilhão para a SuperVia. Vai financiar a antecipação do plano de investimentos da concessionária de trens urbanos do Rio de 2020 para 2016. O 1º desembolso, de R$ 486 milhões, saiu em outubro e vai cobrir gastos já efetuados. O restante será repassado em três parcelas anuais, de 2014 a 2016, de cerca de R$ 400 milhões, diz o presidente da SuperVia, Carlos José Cunha. A empresa teria de investir, por contrato, R$ 1,2 bi até 2020. Durante as negociações com o BNDES, foram identificadas necessidades adicionais que elevaram a operação para R$ 1,650 bi. “Foi dinheiro gasto na instalação do centro de controle e na compra de 20 trens feitos no Brasil, que vão se somar aos 60 chineses encomendados pelo governo do Rio”, diz Cunha. As duas primeiras unidades, fabricadas em SP pela Alston, foram entregue^anteontem. Entram em operação em maio de 2014, após testes. O lote todo chega até julho. Dos 20 trens, 16 serão montados na oficina da SuperVia, no Rio. A operação com o BNDES tem prazo de 20 anos e carência de dois. É dinheiro de linha regular, sem relação com o plano nacional de mobilidade anunciado em meados do ano pela presidente Dilma. A SuperVia fará aporte ainda em sinalização (R$ 250 milhões), infraes-trutura da rede (R$ 300 milhões), reforma de estações (R$ 300 milhões) e de composições (R$ 200 milhões). Cunha diz que o usuário começará a perceber os efeitos a partir de 2014.

TRENS

É a frota que a SuperVia planeja ter em operação em meados de 2015. Hoje, são 180 composições. A concessionária transporta 600 mil passageiros por dia atualmente. Em dois anos, chegará a um milhão. Em 40 estações, serão instalados 52 elevadores.

Fonte: O Globo, 13/12/2013

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima