O Rio não pode parar

Foi com esse tema que a Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) realizou na manhã desta terça-feira (15) o seminário que falou sobre as dificuldades do trânsito carioca.

De acordo com dados obtidos pela ACRJ, o Centro do Rio de Janeiro recebe, em média, dois milhões de pessoas diariamente e cada uma gasta cerca de quatro horas com locomoção por dia de casa para o trabalho, do trabalho para casa.  Pensando na melhoria da mobilidade da população, o Conselho Empresarial de Logística e Transportes da ACRJ promoveu o seminário que contou com a presença de representantes das concessionárias (Barcas, SuperVia, Metrô Rio e Rio Ônibus) e a participação de representantes das Secretarias Estadual e Municipal de Transporte do Rio, da Secretaria Municipal de Ordem Pública, da Companhia de Engenharia de Tráfego e da Federação de Transporte do Rio.

Esteve também presente no seminário representando a Associação de Engenheiros Ferroviários (AENFER), o diretor de Comunicação engenheiro Fernando Albuquerque.

De acordo com o presidente do conselho, Eduardo Rebuzzi, o seminário “O Rio não pode parar” teve como objetivo analisar as medidas imediatas que estão sendo tomadas pelo Poder Público e pelas prestadoras de serviços de transporte para melhorar a mobilidade da cidade do Rio e de quem tem que acessá-la diariamente vindo de outros municípios.

Dois painéis foram apresentados, o primeiro, intitulado “O que as Concessionárias estão fazendo, a curto prazo, para o Rio voltar a andar?”, espaço onde os presidentes de todas as concessionárias presentes apresentaram os projetos sobre ampliação de frotas, aquisição de novos equipamentos, diminuição de intervalos e outros temas. E o segundo nomeado “O que o Poder Público está fazendo, a curto prazo, para o Rio voltar a andar”, onde os secretários presentes mostraram os projetos que estão em vigor e sendo elaborados acerca do tema.

Fonte: ACRJ, 15/04/2014

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima