Novo secretário de Transportes anuncia equipamento que é promessa antiga da Supervia

Futuro secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório anunciou como novidade para a Supervia um equipamento que está atrasado há, no mínimo, cinco anos. Isso nas palavras do então presidente da concessionária, Amin Murad, que, em 2009, reconheceu que o ATP já devia ter sido implantado desde aquela época. “Estamos até atrasados para implementar o ATP”, disse, em entrevista ao EXTRA.

O equipamento é um sistema de proteção automática. Ao longo da linha de trem, foram instalados 3.220 sensores que se conectam com monitores instalados nas cabines dos trens e repassam informações aos maquinistas. Na prática, o programa permite que os trens trafeguem com uma distância menor entre a próxima composição, reduzindo o tempo dos intervalos. Além disso, o ATP impede que os maquinistas avancem sinais fechados e excedam a velocidade em pontos perigosos, evitando acidentes.

Após ficar quase dois anos em fase de testes no ramal Deodoro, o ATP só começou a funcionar em outubro deste ano. Em Japeri e Santa Cruz, o sistema ainda está em fase de testes. A previsão é que os outros ramais só recebam a tecnologia até o fim de 2015.

— A Supervia foi sucateada por duas décadas e iniciou um período de recuperação em 2007. O ATP é muito importante nesse momento em que estamos completando a frota com trens novos e precisando garantir a regularidade de intervalos. Se tivesse sido implementado antes seria bom, mas o importante é que agora vai virar realidade — diz Osório.

A instalação do ATP em Deodoro já surtiu resultados.

— No ramal Deodoro, antes da instalação do sistema, circulavam dez trens por hora. Agora temos o dobro de trens e uma redução de quatro minutos no intervalo, passando de dez para seis minutos — diz João Gouveia, diretor de Operações da concessionária.

Questionada, a assessoria da Supervia negou que o ATP tenha sido implantado com atraso, a despeito do que disse o presidente da concessionária em 2009.

Conheça alguns números do ATP:

R$ 150 milhões – Foi o valor que a SuperVia desembolsou para comprar o sistema da Bombardier, empresa canadense líder mundial em sinalização metroferroviária.

3.220 balizas – Os sensores instalados ao longo da via férrea controlam automaticamente a distância entre os trens, que se comunicam por monitores instalados nas cabines de todas composições.

4 minutos – Foi o tempo de redução no intervalo entre trens no ramal Deodoro. Antes do ATP, o intervalo era de 10 minutos e, hoje, é de seis.

2015 – A concessionária prevê que até o fim do ano que vem o ATP esteja instalado e funcionando em todos os ramais da malha ferroviária.

 Fonte: Jornal Extra, 18/12/2014

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima