TCE questiona segurança em obra do metrô do Rio de Janeiro

Relatório do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) divulgado ontem concluiu que o tempo curto para a conclusão da obra da Linha 4 do metrô pode prejudicar a segurança e a operação do transporte durante a Olimpíada. O período de teste será finalizado um dia antes do início da operação com passageiros, em 1º de agosto. Os Jogos Rio começam no dia 5 de agosto.

Em 2010, o contrato previa 12 meses de pré-operação. O período seria de outubro de 2014 a setembro do ano passado. A abertura definitiva ao público seria em fevereiro de 2016. Esse relatório não analisou possíveis casos de superfaturamento no contrato.

Após a queda da ciclovia na orla da zona sul do Rio, que deixou dois mortos, o presidente do TCE, Jonas Lopes Carvalho Junior, teme que a velocidade da obra possa comprometer a qualidade do projeto. Nesta semana, a prefeitura do Rio recebeu críticas porque logo no segundo dia de operação houve problemas com o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

“Ficamos com a preocupação de que com essa celeridade fosse prejudicada a qualidade da obra e até mesmo o seu andamento. Decidimos fazer um alerta às autoridades envolvidas”, destacou Carvalho Junior. Entre as autoridades que serão avisadas estão o Comitê Olímpico Internacional (COI), o governo estadual, o Conselho Regional de Engenharia (Crea) e o Corpo de Bombeiros.

No fim do ano passado, um quarto aditivo adiou e reduziu o tempo de testes de 90 para 60 dias. Na prática, os testes só começaram neste mês. A redução em 30 dias na operação assistida despertou a atenção do TCE. Esse é o sexto relatório emitido pelo tribunal em relação à obra do metrô, que ainda produz análise sobre os custos financeiros.

O presidente do TCE não quis adiantar o conteúdo da investigação, mas afirmou que “as notícias não são boas”. “A obra não está sendo feita fielmente como contratada”, limitou-se a dizer após questionamento de jornalistas. Sem especificar a denúncia, disse que “existe a possibilidade de que a obra foi paga e não realizada”.

Após relatório do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) apontar risco e segurança na operação da Linha 4 do Metrô por causa do curto período de teste, o governo do Rio afirmou que o período pré-operação está respeitando o contrato de concessão e normas internacionais.
Em nota, a Secretaria Estadual de Transporte informou que “os testes dos sistemas foram iniciados em janeiro deste ano e o teste do material rodante em junho de 2015, respeitando o disposto no contrato”.

No texto, a secretaria disse ainda que “o prazo de testes adotado na Linha 4 leva em consideração todos os procedimentos de segurança já adotados desde a inauguração do metrô, em 1979”.

Fonte: Valor Econômico, 10/06/2016

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima