Ações de recuperação da EFCJ

Pela primeira vez na história da Estrada de Ferro Campos do Jordão – EFCJ, a Corregedoria Geral da Administração – CGA, órgão do Governo do Estado encarregado de acompanhar o desempenho da administração pública, veio à Estrada de Ferro para convidar a empresa a participar do seminário mensal dos corregedores.

No evento, realizado no dia 19/10, em São Paulo, a EFCJ apresentou as realizações desenvolvidas na sua reconstrução técnica e administrativa.

Para o diretor da Estrada de Ferro Ayrton Camargo e Silva, o convite é motivo de orgulho para os funcionários comprometidos com a modernização e o fortalecimento da ferrovia.

“No início dessa gestão recebíamos os representantes da Corregedoria para apurar denúncias anônimas de supostos problemas na gestão. E foram justamente essas apurações, todas arquivadas por serem improcedentes, que motivaram a CGA a convidar a EFCJ a expor as ações de recuperação da ferrovia.”

Segundo o corregedor René Fernando Cardoso, responsável pela iniciativa, a grande mudança na reestruturação da Estrada de Ferro motivou a oportunidade.

“A Corregedoria acompanha as atividades da EFCJ há muito tempo e trata- se de um caso prático de como administrar diversos conflitos”, enfatizou.

Também presente ao encontro, Guilherme Luís da Silva Tambellini, do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, reiterou elogios “ao excelente trabalho de resgate desenvolvido pela EFCJ.”

O representante da STM junto à ferrovia, Julio Batista da Costa, ressaltou como positivo o fato de mais pessoas – profissionais do Tribunal de Contas e Corregedoria presentes na sua grande maioria – entendessem o processo de reestruturação pelo qual passou a EFCJ.

A cada dia a empresa recebe um novo convite para contar a história de revitalização do seu patrimônio. São entidades técnicas do setor de transporte, entre outras, interessadas em

levar aos seus técnicos detalhes das ações desenvolvidas.

AEAMESP

Para falar dessas ações a Estrada de Ferro participou em setembro da 22ª. Semana de Tecnologia Metroferroviária, organizada em São Paulo pela Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô paulista – AEAMESP, um dos mais importantes eventos

do segmento no Brasil.

No painel “Recuperação de Ativos Ferroviários” – coordenado pelo conselheiro da entidade, José Geraldo Baião -, Ayrton pode demonstrar como é possível aproveitar e recuperar trechos de ferrovias existentes, com exemplos práticos (vias, estações, material rodante

e etc.), que era exatamente o tema proposto para reflexão. O secretário geral da ALAF/Brasil – Associação Latino-Americana de Ferrovias, Jean Carlos Pejo, integrou esse painel.

SEAERJ

Ainda em setembro, o diretor esteve na sede da Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro – SEARJ, quando mostrou cases do cotidiano da ferrovia, a partir dos investimentos do governo do Estado de São Paulo, desde 2012.

Como desdobramento do encontro surgiu a iniciativa de membros da SEARJ conhecerem a Estrada de Ferro. A visita permitirá que profissionais da entidade conheçam equipamentos

relatados na exposição, a exemplo das oficinas e o Centro de Memória em Pindamonhangaba.

AENFER

Já na Associação de Engenheiros Ferroviários do Rio de Janeiro – uma das mais tradicionais entidades fluminenses setoriais de transporte, onde esteve no mesmo período – Camargo

apresentou as principais características técnicas que fazem da EFCJ uma das mais peculiares ferrovias do Brasil.

Fonte: EFCJornal. Outubro, 2016

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima