Trens da Supervia são depredados por torcedores

Torcedores depredaram cinco trens da SuperVia que realizaram viagens extras depois das disputas entre Botafogo e Grêmio, na quarta (13), e Fluminense e LDU, na quinta (14). Ao todo, 12 janelas foram arrancadas de composições dos ramais Japeri, Santa Cruz e Deodoro. Neste ano, já foram registrados oito episódios de vandalismo, após jogos de futebol, nos trens, que são o principal meio de transporte público para o Nilton Santos e uma opção também para o Maracanã.

A Supervia registrou várias ocorrências de vandalismo e lamentou que ações de pequenos grupos causem transtornos aos demais passageiros. A empresa disse valorizar a grande paixão nacional e apoiar a realização dos jogos, inclusive reforçando a operação dos trens após as partidas.

Histórico de vandalismo

Casos como estes são comuns nos trens e estações do Rio. Na semana passada, a SuperVia registrou danos em um trem que transportou torcedores após a partida entre Flamengo e Cruzeiro, no Maracanã.

No primeiro semestre, outras cinco ocorrências envolvendo torcidas organizadas causaram prejuízos ao sistema ferroviário. No dia 7 de maio, quatro composições tiveram o total de 24 janelas destruídas depois da final do Campeonato Carioca, no Maracanã. Em 4 de maio, janelas e assentos foram arrancados de quatro trens após o jogo entre Flamengo e Universidad Católica, pela Libertadores da América, também no Maracanã.

Em abril, antes de um clássico entre Flamengo e Vasco, um grupo com cerca de 500 torcedores destruiu portas, lixeiras, uma catraca, uma cadeira e um totem da estação Bonsucesso (ramal Saracuruna). Durante o tumulto, a bilheteria foi saqueada, um extintor furtado e dois passageiros tiveram celulares e quantias em dinheiro roubadas.

Em março, torcedores já haviam arrancado nove janelas de um trem, além de quebrar um dos portões da estação Olímpica Engenho de Dentro, depois de uma partida entre Fluminense e Botafogo, no Nilton Santos. No fim de janeiro, antes de outra disputa entre Vasco e Flamengo, no mesmo estádio, as estações Presidente Juscelino (ramal Japeri) e Quintino (ramal Deodoro) sofreram ataques. Cadeados foram arrombados e uma câmera de segurança chegou a ser retirada do local.

Fonte: G1, 18/09/2017

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima