Agetransp multa MetrôRio em mais de R$ 1 milhão

A Agetransp multou, nesta terça-feira, a concessionária Metrô Rio no valor de R$ 1.082.624,00 pelos problemas que geraram a paralisação das linhas 1 e 2 por cerca de duas horas no dia 23 de julho, durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). O relator do processo e Conselheiro-Presidente da Agetransp, Luiz Barbosa, considerou que o incidente gerou transtornos na mobilidade da população, uma vez que havia milhares de peregrinos na cidade e que naquele dia seria realizada a missa de abertura do evento em Copacabana, na Zona Sul da cidade.

A multa, fundamentada no parágrafo 3º da cláusula décima nona do Contrato de Concessão, representa 0,5% do faturamento do Metrô Rio no ano anterior e foi aplicada por maioria de votos dos Conselheiros votantes. Cabe recurso à decisão. Em nota, a concessionária Metrô Rio informou que ainda não foi notificada oficialmente pela Agetransp. Quando isso ocorrer, a empresa disse que var recorrer do valor da multa.

Na ocaisão, o diretor de engenharia da concessionária, Joubert Flôres, havia pedido desculpas à população pelo caos. Com a circulação interrompida, as estações ficaram fechadas. Houve relatos de pessoas que ficaram confinadas nas estações. Alguns passageiros passaram mal na estação Uruguaiana. Flôres classificou a falha como um incidente e explicou que a paralisação do sistema foi provocada por um defeito em um cabo da futura estação Uruguai, na Tijuca, na Zona Norte da cidade.

Paralisação de duas horas

Na abertura da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), no dia 23 de julho, as linhas 1 e 2 do metrô ficaram paralisadas por duas horas. De acordo com a concessionária Metrô Rio, um cabo de energia se rompeu na estação Uruguaiana, no Centro Rio, e a circulação de trens teve de ser paralisada para o trabalho de equipes de manutenção.

Mais três multas

Além da multa pelas ocorrências na abertura da JMJ, a Agetransp multou em R$ 154 mil reais a SuperVia, por três incidentes distintos. A concessionária foi multada em R$ 71.538 por uma quebra de pantógrafo, que provocou pane na composição nas proximidades da Estação Jardim Primavera e, em R$ 51.904 por um descarrilamento de trem no trecho inferior da Estação Meier. Outra multa, no valor de R$ 30.625, foi devido à avaria de um trem próximo a Estação Meier, que obrigou os passageiros a desembarcarem na linha férrea. O Conselho Diretor da Agência considerou a SuperVia responsável pelos três incidentes, que comprometeram a qualidade dos serviços e prejudicaram os usuários.

O MetrôRio informou que ainda não foi notificado oficialmente pela Agetransp. Quando isso ocorrer, a Concessionária recorrerá do valor da multa.

Fonte: O Globo, 29/10/2013

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima