Casos de acidentes na linha férrea dobram em Barra do Piraí, RJ

O número crescente de acidentes na linha férrea preocupa quem passa por Barra do Piraí, no sul do Rio de Janeiro. De acordo com a concessionária que adminsitra a linha férrea, a estatística dobrou em um ano (dois acidentes em 2013 e quatro de janeiro a outubro deste ano).

Ainda segundo dados da empresa responsável por administrar a ferrovia, a maior parte dos acidentes são provocados por imprudência. “Mesmo o maquinista aplicando todo o freio da composição, ele ainda anda por 400 metros. Imprudência de uns gera transtorno para toda população, pelo fato de o maquinista depois que aplica a emergência, o trem para. Ele tem que correr toda a composição para ver se não descarregou nenhum vagão. Então fica uns 40 [minutos], uma hora parado, fechando as duas PNs [passagens de níveis] principais de Barra do Piraí”, disse o gerente de operações da empresa, Rodrigo Feitoza.

Nas passagens de níveis do município, não faltam exemplos de desrespeito à sinalização. “As pessoas vêm correndo aqui e atravessam em ponto de cair. eu, inclusive, em uma ocasião, perdi um amigo meu. Ele veio correndo para atravessar, até a carteira dele caiu. Ele voltou para pegar e o trem o matou”, disse o aposentado Aluízio Pereira Lopes. “Eu moro na Química, lá também eu acesso com as crianças para a escola, do outro lado, no Matadouro, tem que atravessar a linha. Nesse caso, a gente leva, a gente busca porque a preocupação é demais”, disse a dona de casa Olívia de Souza Paula.

Para reduzir os riscos, eles pedem a construção de uma passarela nos pontos de maior movimento. “Os idosos chegam aqui e ficam aqui quase duas horas, esperando. Trem parado e não tem uma solução”, contou o aposentado Hermínio de Paula.

A concessionária que administra a ferrovia informou à produção do RJTV que no momento não existem planos para a construção de uma passarela no Centro de Barra do Piraí. No entanto, a possibilidade de fazer um estudo para verificar se há necessidade dessa alternativa não foi descartada. A empresa também informou que investe na conscientização da população para reduzir os acidentes.

Fonte: G1 Sul do Rio e Costa Verde, 24/10/2014

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima