Ministro das Cidades aprova o VLT e diz que repasse federal está em dia

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, recebeu nesta segunda-feira (7) o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, para mostrar os testes da primeira etapa do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que entrará em atividade em abril na Zona Portuária e no Centro do Rio. O trajeto ligará a Rodoviária Novo Rio e o Aeroporto Santos Dumont. A expectativa é de que o trecho todo seja percorrido entre 30 e 40 minutos.

O repasse dos recursos está perfeitamente organizado com a necessidade da obra. Estamos com uma condição econômica no país que não é das melhores, mas podemos tranquilizar tanto a prefeitura quanto a concessionária de que os repasses vai acontecer”

“Basta observar como era essa região há um tempo atrás não só com o VLT, mas com as obras de urbanização. Evidente que a cidade do Rio se transforma e tem um novo marco”, disse o ministro.

A implantação do VLT vai custar, no total, R$ 1,157 bilhão, sendo R$ 532 milhões com recursos federais do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e R$ 625 milhões de uma Parceria Público-Privada (PPP) da Prefeitura do Rio.

“O repasse dos recursos está perfeitamente organizado com a necessidade da obra. Estamos com uma condição econômica no país que não é das melhores, mas podemos tranquilizar tanto a prefeitura quanto a concessionária de que os repasses vai acontecer”, afirmou Kassab, lembrando que R$ 309 milhões estão previstos para o transporte.

Antes de conhecer o interior dos trens, Paes fez questão de circular com Kassab pela Praça Mauá, um dos principais pontos de revitalização da cidade para os Jogos Olímpicos do Rio. Ele mostrou os monumentos, as alterações arquitetônicas e passou rapidamente pelo interior do Museu do Amanhã.

Cada um dos 32 trens que entrarão em operação recebeu o nome de uma pessoa ilustre que fez parte da história da cidade. O VLT onde o prefeito e o ministro das Cidades embarcaram recebeu uma homenagem ao escritor e jornalista João do Rio. Outros nomes homenageados foram os compositores Ary Barroso e Chiquinha Gonzaga, o fotógrafo Augusto Malta, e o escritor Machado de Assis.

A primeira fase do VLT terá 17 paradas e uma estação, na Rodoviária. Quando o sistema estiver funcionando na totalidade, terá 29 paradas abertas e três estações. Além da Rodoviária, a Central e as Barcas também terão estações. A segunda etapa, que cobrirá o trecho entre a Central e as Barcas, entrará em atividade no segundo semestre.

O VLT será usado como meio de transporte para integrar todos os sistemas de transporte e deve funcionar 24 horas por dia quando estiver plenamente em atividade.

Vinte e oito condutores estão em fase final de treinamento para conduzir os trens. O curso para aprender a conduzir o VLT durou sete meses. Outras duas turmas devem formar mais 40 condutores a partir de março.

Fonte: G1 Rio de Janeiro, 07/03/2016

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima