VLT do Rio terá ‘botão do homem morto’ para garantir segurança

O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) começará a entrar em circulação – no trecho entre a Rodoviária Novo Rio e o Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio de Janeiro – em meados de abril. Entre as inovações anunciadas pela Secretaria Municipal de Transportes, o “botão do homem morto” promete oferecer mais segurança para os passageiros. Esta ferramenta foi elaborada para prevenir algum problema, caso uma fatalidade aconteça com o condutor do veículo.

O botão deve ser girado constantemente pelo condutor do VLT enquanto o transporte estiver em movimento. Caso o dispositivo não seja acionado por 10 segundos, o trem interrompe sua circulação. A ferramenta se mostra eficiente em caso de um mal súbito do condutor ou se ele for atingido por uma bala perdida, por exemplo. O diretor de operações da concessionária do VLT Carioca, Augusto Schein, afirmou que a segurança é uma das preocupações primordiais.

“A segurança foi um dos assuntos mais detalhados do projeto. O VLT tem dois avisos sonoros: uma campainha e uma buzina para casos de emergência. Temos também o chamado ‘botão do homem morto’ que tem como objetivo evitar um problema maior caso algo aconteça com o condutor, como um mal súbito. Essa preocupação é fundamental. Temos 65 cruzamentos ao longo dos 28 quilômetros de percurso. O veículo também tem três tipos diferentes de freios. Essas medidas visam a qualidade no transporte e a segurança dos passageiros”, afirmou Schein.

Com 44 metros de extensão e capacidade para transportar 420 pessoas, o novo modal apresenta outras novidades como a validação voluntária dos cartões para pagamento das passagens, transporte ferroviário durante 24 horas e necessidade de acionar a abertura das portas. O secretário municipal de Transportes, Rafael Picciani, afirmou que o VLT é uma grande inovação e um desafio para os cariocas.

“Eu diria que tudo é um grande desafio. É uma novidade para a população carioca e para o Centro do Rio. Esse novo modal integra todos os outros modais da cidade e traz muitas novidades. Entre eles, a validação voluntária que será um desafio. A população precisa conhecer os impactos dessa não validação. Nós teremos uma fiscalização presente para auxiliar esses cidadãos”, afirmou o secretário.

Ao entrar no vagão o passageiro deve validar o seu cartão voluntariamente. Fiscais irão observar e abordar as pessoas para verificar o pagamento. Caso o débito não seja constatado, o cidadão deve ser multado em R$ 170.

Outra novidade é que para entrar na composição, os passageiros precisam apertar um dispositivo na porta, uma vez que a abertura não será automática

Os intervalos entre os trens serão de 15 minutos, inclusive durante a noite e madrugada. A velocidade máxima atingida será de 50 km/h e a média deve ficar em torno de 15 km/h, levando em conta as paradas.

Integração total

Com passagens a R$ 3,80, os novos trens terão integração com todos os outros transportes públicos da cidade. De acordo com a secretaria de Transportes, o modal terá ligação com os trens da SuperVia, metrô, barcas, teleférico do Morro da Providência, ônibus e BRT. A Prefeitura pretende atingir o índice de 63% da população com acesso aos transportes de alta capacidade em 2017.

Toda esta inovação tecnológica precisa de um acompanhamento técnico e treinamento dos funcionários. Os condutores e operadores do VLT passaram por um curso na França desde agosto de 2015 e utilizaram um simulador da vida real para se adaptarem ao transporte.

Fonte: G1, 12/03/2016

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima