Temer diz que ajuda para obras da Linha 4 ainda ‘não está equacionada’

RIO – Em sua primeira viagem presidencial, uma visita ao Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, o presidente interino Michel Temer disse que ainda não está equacionada a ajuda financeira para que o governo estadual finalize as obras da linha 4 do metrô, Ipanema-Barra, no Rio. Temer contou que conversou com o governador interino Francisco Dornelles, mas que só na semana que vem poderá falar sobre valores e avançar no tema.

– Estamos finalizando os estudos financeiros sobre a linha 4 do metrô. Já combinei com o governador Dornelles e vamos ter uma conversa, logo mais adiante, para equacionarmos em definitivo essa questão – disse Temer que, ao ser questionado sobre o valor do empréstimo, desconversou:

– Não tenho este dado. Até o começo da semana que vem teremos essas informações.

Segundo Dornelles, uma das propostas do estado é saldar as dívidas com o Tesouro Nacional e com organismo internacionais por meio de um empréstimo de R$ 1 bilhão do Banco do Brasil, que já foi aprovado pelo Conselho Monetário Nacional e foi autorizado por uma resolução do Senado. Esse dispositivo permitiria a tomada de novos empréstimos para compensação de perda de arrecadação de royalties do metrô.

Como o estado está inadimplente com a União, não pode contratar novas operações de crédito. Um desses financiamentos, que é primordial para concluir as obras do metrô, ainda depende de o estado comprovar que está adimplente com o governo federal para ter o aval do Ministério da Fazenda e do BNDES. Devido à queda no barril de petróleo, a arrecadação do governo estadual sofreu queda de R$ 3,5 bilhões no ano passado.

Em seu breve pronunciamento na tarde dessa terça-feira, em uma das arenas esportivas dos Jogos, Temer endossou que o governo federal ajudará o estado não só no discurso, mas com dinheiro:

– Tive uma reunião com o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), quando ele (Thomas Bach) registrou o fato de que todos sabemos, que 5 bilhões de pessoas acompanharão os Jogos Olímpicos, terão os olhos voltados para o nosso país. Por isso foi importante eu ter vindo aqui com boa parte do ministério para conhecer as obras e para evidenciar que vamos colaborar não apenas com palavras, mas também nas necessidades de natureza financeira.

Fonte: O Globo, 14/06/2016

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima