SuperVia recebe “Trem do Samba” em edição comemorativa pelos 100 anos do gênero musical

No ano de comemoração do centenário do samba, a SuperVia recebe, no próximo sábado (03/12), a 21ª edição do “Trem do Samba”. O evento mantém viva a memória da viagem de trem que Paulo da Portela e outros sambistas faziam no início do século XX para fugir da repressão da polícia à cultura africana. Nesse ano, a concessionária reforçará a operação para retorno do evento com viagens extras também para os ramais Santa Cruz e Japeri durante a madrugada, além dos tradicionais trens para a Central do Brasil, permitindo a conexão com o BRT Transcarioca que chega até a região da Barra​. Serão nove viagens extras (conforme tabelas abaixo) em trens com ar-condicionado.

“Podemos dizer que o samba é o irmão mais novo do trem. A ligação desse ritmo tão carioca com o sistema ferroviário é muito forte e suas histórias estão totalmente interligadas​. É um prazer receber essa festa, que faz parte do calendário oficial de eventos da cidade”, comemora José Carlos Prober, presidente da SuperVia.

A programação começa às 15h, na estação Central do Brasil, com shows da Velha Guarda da Portela, da Vila Isabel e do Salgueiro, além de sambistas renomados como Nelson Sargento, Dominguinhos do Estácio, Noca da Portela e Dorina.

A partir das 18h24, a festa continua com rodas de samba no interior dos trens comandada por grupos como Bip Bip, Cacique de Ramos, Carioca da Gema e Pagode do Brio. Ao todo serão 32 grupos distribuídos em cada carro de passageiros animando a viagem até Oswaldo Cruz, considerado um dos berços do samba. As composições, todas com ar-condicionado, sairão daplataforma 2 da Central do Brasil em viagens diretas a cada 20 minutos.

O primeiro trem a partir, que realizará uma viagem especial iniciando oficialmente a festa dentro das composições, fará uma parada inédita na estação Mangueira/Jamelão para o embarque da Velha Guarda da escola do mestre Cartola. A ação é uma homenagem à música “Sala de Recepção”, feita por Cartola para seu amigo Paulo da Portela. Na época, Paulo ficou por três dias na casa do poeta maior da Verde e Rosa porque tinha sido banido da Azul e Branco de Oswaldo Cruz.

As comemorações continuam no bairro, onde diversos artistas se apresentarão em palcos e rodas de samba espalhadas pelas ruas ao longo da linha do trem.

Para ter acesso aos trens do evento basta trocar 1kg de alimento não-perecível por um bilhete. O alimento deve ser entregue em um posto de troca localizado no Corredor Cultural da estação Central do Brasil, a partir das 12h. A organização do “Trem do Samba” irá entregar as doações ao Banco Rio de Alimentos, do Sesc Regional Rio, que destinará os alimentos para instituições parcerias.

Fonte: SuperVia, 01/12/2016

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima