Tarifa de ônibus sem aumento e metrô será revisto, diz secretário dos transportes

Segundo Fernando Mac Dowell, que também é vice-prefeito, aumento só ocorrerá quando toda a frota estiver equipada com ar-condicionado, como determina acordo com o Ministério Público

O vice-prefeito e secretário de transportes do Rio de Janeiro, Fernando Mac Dowell, disse na manhã desta quinta-feira, 5 de janeiro de 2017, que não haverá aumento nas tarifas de ônibus “tão cedo”.

A declaração foi dada ao Bom Dia Rio, da TV Globo.

Segundo o vice-prefeito, só deve haver aumento caso as empresas de ônibus cumpram acordo com o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, que determina que toda a frota de coletivos municipais tenha o equipamento de climatização. Mac Dowell também falou que aumento de tarifa inevitavelmente resulta em queda de demanda de passageiros.

Eles [donos de empresas de ônibus] têm que cumprir o contrato. Estão pedindo aumento de tarifa. Não vou deixar, em hipótese nenhuma, enquanto não resolverem o problema do ar-condicionado … Não adianta ficar aumentando a tarifa porque a demanda cai. E cai a receita deles também.

Mesmo com o comprimento da meta, o secretário afirmou que ainda estudará de quanto será o reajuste. Fernando Mac Dowell deve se reunir com os representantes dos empresários de ônibus e fazer cálculos para verificar o cumprimento do contrato de reajuste. O secretário também afirmou que ar-condicionado nos ônibus do Rio de Janeiro não é questão de luxo.

Eles [donos de empresas de ônibus] estão preparando lá o trabalho para poder vir (nos) apresentar, porque não vai ser esse negócio da população pagar a conta de quem não está cumprindo o contrato. Não vamos tão cedo aumentar essa tarifa. O problema do ar condicionado não é luxo aqui no Rio de Janeiro.

METRÔ:

Fernando Mac Dowell disse também na entrevista que vai se reunir com o prefeito Marcelo Crivella e o governador Luiz Fernando Pezão já nesta quinta-feira para tratar da inclusão do Bilhete Único Carioca no sistema metroferroviário. Também vai discutir integrações e formas de melhorar o sistema.

Lamentavelmente, essa Linha 1A reduziu a capacidade do metrô em mais de 86%. Na Supervia estamos com um problema sério, porque o metrô não consegue retirar a quantidade de pessoas que chega, porque houve essa redução. Se nós não arrumarmos isso, vai sobrar pra prefeitura … Nós vamos ter que sentar, estabelecer (medidas), de preferência, vir o metrô para o Rio para que a gente possa, por exemplo, ter um sistema que foi tirado do metrô indevidamente, que é a pilotagem automática da Linha 2. Vamos precisar reformar essa Linha 1A para ampliar novamente a capacidade do metrô.

Fonte: Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes, 05/01/2017

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima