Após 28 anos, obra na estação 110 Sul do metrô é retomada

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) assinou ontem a ordem de serviço para que as obras da estação do metrô da 110 sul sejam finalizadas. A construção estava parada desde 1990, mas o GDF promete entregar a nova estação até dezembro, ao custo de R$ 23 milhões.

As intervenções no local compreendem a finalização da estação e a construção de passagem subterrânea para pedestres (sob Eixinhos e Eixão) e de acessos em superfície. Cerca de 3 mil pessoas serão beneficiadas pela estação.

“Esta é a primeira das três estações de metrô que serão entregues neste governo. A ideia é agilizar ao máximo, finalizando a licitação para as estações Estrada Parque [próximo a Águas Claras e Vicente Pires] e Cine Brasília [na 106 Sul]”, disse Rollemberg.

A assessoria do Metrô-DF informou ao Destak que essas duas novas estações ainda aguardam recurso e que não existe previsão para o início das obras.

Já na 110 Sul, o trabalho será retomado na próxima semana, de acordo com o diretor-presidente da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF), Marcelo Dourado. “A obra tem todo um cronograma: a parte de acabamento, a de sinalização e a construção de duas passarelas. A previsão é que até dezembro tudo esteja pronto”, calcula.

Em janeiro, a União autorizou um repasse de R$ 333 milhões para que o GDF financiasse a expansão da rede de metrô. Na ocasião, o executivo local informou que os recursos seriam usados para construir trilhos e mais duas novas estações em Samambaia.

Empresa investigada

Para realizar as obras da estação na 110 Sul, o GDF contratou a empreiteira Via Engenharia. A vencedora da licitação é investigada pela Polícia Federal nas operações Lava-Jato e Panatenaico.

A empresa teve os bens bloqueados pela Justiça por suspeita de favorecimento e pagamento de propinas na obra do Estádio Nacional Mané Garrincha. A Operação Panatenaico prendeu em abril do ano passado dois ex-governadores do DF: José Roberto Arruda (PR) e Agnelo Queiroz (PT), além do ex-vice-governador Tadeu Filippelli (PMDB) e do emopresário Fernando Queiroz, dono da Via Engenharia.

As denúncias estão sob análise do Ministério Público Federal (MPF), que ainda não se manifestou sobre as investigações da PF. A empresa também foi responsável pela construção do BRT Sul e do Centro Administrativo do DF. Ambas teriam sido superfaturadas, segundo delatores.

Ao ser questionado, Rollemberg afirmou que não existe medida legal que impeça a participação da empresa em obras do GDF. Alegou ainda que todos os critérios exigidos foram cumpridos.

Fonte: O Destak, 15/02/2018

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima