Crime de lesa-pátria

Deputado Paulo Feijó desabafa: “Esse descaso com as ferrovias é o maior crime de lesa-pátria das últimas décadas”

O deputado federal Paulo Feijó (PRRJ) declarou seu descontentamento hoje (17/07), na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), quanto à resolução da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que autorizou a concessionária Ferrovia Centro-Atlântica S.A. (FCA) a desativar e a devolver ao Poder Público trechos ferroviários que explorava nos Estados da Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Sergipe. A resolução foi publicada no Diário Oficial, no último dia 5, e abrange tanto trechos considerados “antieconômicos” quanto trechos economicamente viáveis.

Em plenário, diante dezenas de parlamentares e o presidente da Casa, em sessão transmitida ao vivo pela TV Câmara, o deputado desabafou: “Eu considero essa decisão do Governo e esse descaso com as ferrovias o maior crime de lesa-pátria das últimas décadas, e o que mais me impressiona é que não li uma linha, não vi, por intermédio da mídia brasileira, uma frase sequer em relação a isso”, ressaltou.

PREJUÍZO TRILIONÁRIO PARA O GOVERNO – Para o deputado, o descaso com as ferrovias começou no Governo Fernando Henrique Cardoso, “quando foi adotado esse novo modelo de administração das ferrovias, de concessões”. E continuou: “O Governo do Presidente Lula fez vistas grossas, nada fez em relação às ferrovias brasileiras. E agora, a Presidenta Dilma, através dessa resolução, aceitando de volta os trechos ferroviários abandonados, dilapidados, sucateados, centenas de locomotivas abandonadas, milhares de vagões, milhares de quilômetros ferroviários. Isso é um prejuízo trilionário para o Brasil. O Governo Federal anuncia a construção de novas ferrovias. Cada quilômetro de nova ferrovia custa na faixa de R$ 6 milhões, e o Governo aceita esse crime de devolução de milhares de quilômetros de ferrovias abandonadas? Eu chamo a atenção da Procuradoria Geral da República. Cadê o Ministério Público Federal?”, destacou o deputado, que está em seu quarto mandato na Câmara e é um grande defensor da classe ferroviária em Brasília.

– Serei um crítico aqui na Câmara e estarei acompanhando no dia a dia as explicações devidas. Já aprovamos na Comissão de Fiscalização Financeira audiência pública com autoridades do Governo e representantes da Ferrovia, para que possamos esclarecer. É um absurdo o que o Governo Federal tem feito para as ferrovias do nosso Brasil – completou o deputado, ressaltando ainda, em seu pronunciamento, que os ferroviários estão completamente indignados. “Conseguiram extinguir a Rede Ferroviária Federal, que, na época, havia dezenas de milhares de ferroviários. Hoje todos vivem dificuldades salariais. É inaceitável que o Governo Federal trate a ferrovia como tem tratado, e as consequências estão aí, as rodovias congestionadas, os portos brasileiros congestionados, as rodovias matando, o Custo Brasil aumentando”.

A sessão, na ocasião, estava sendo presidida pelo deputado Mauro Benevides (PMDB-CE), que também se manifestou. “A Presidência acolhe a manifestação do nobre deputado Paulo Feijó nesse exame que faz, com a contundência de linguagem, em relação ao fato de o Governo ter subestimado o transporte ferroviário, com a preterição da colaboração inestimável daqueles que, ao longo do tempo, pertencendo a essas ferrovias, favoreceram um meio de transporte mais barato a todo o povo brasileiro. O atual Governo, corroborando as decisões de governos anteriores, mantém esse mesmo lapso da sistemática do transporte brasileiro. A Casa, portanto, fica ciente da manifestação do nobre representante do Rio de Janeiro”, encerrou.

Fonte: Câmara dos Deputados, 17/07/2013

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima