Tráfego está no limite

Estabilização da economia, aumento do poder de compra e facilidade de  financiamento contribuíram para o aumento da frota de carros. Hoje só no  município do Rio há mais de 2,7 milhões de veículos nas ruas. A explicação ajuda  a entender fenômenos como o do último dia 6, quando cruzar a Linha Amarela em  direção à Barra consumiu mais de três horas.

— Estudos mostram que quanto maior o poder aquisitivo das pessoas mais  viagens elas fazem de carro — diz Fernando MacDowell, que calculou 1.939 horas  de engarrafamento no Rio em 2011, número que segundo ele não mudou de lá para  cá.

O engenheiro William de Aquino, coordenador da Agência Nacional de Transporte  Público explica que como o sistema viário do Rio opera no limite, qualquer  pequena alteração, como uma simples freada, pode resultar em engarrafamento.

— Nos horários de pico a distância entre os veículos é menor e o espaço de  segurança para frenagem reduzido.

O secretário municipal de transportes, Carlos Roberto Osório, diz que a  mobilidade é um dos grandes desafios da cidade. Ele aponta investimentos em  transporte de massa como solução.

— Até 2016 serão investidos R$ 6 bilhões em transporte público de grande  capacidade (BRT, trens e metrô). Hoje esse sistema responde por 20% das viagens  realizadas. Com os investimentos pretendemos passar para 60%.

Fonte: Extra, 21/09/2013

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima