AFL na AENFER

Com o apoio da Associação de Engenheiros Ferroviários (AENFER), a Academia Ferroviária de Letras (AFL) promoveu no dia 27 de outubro duas apresentações importantes para a categoria ferroviária. A primeira foi mais uma oportunidade para aqueles que perderam o lançamento do Manual Básico de Engenharia Ferroviária, recentemente realizado nesta Associação, cujos autores são os engenheiros Carlos Serman, Cássio Carmo, Cláudio Delorenci, Helio Suêvo, João Bosco Setti, Jorge Cunha, José A. Duba, Rui Nabais e Wilson T. Shimura.  O diretor Cultural e de Preservação Ferroviária da AENFER aproveitou o momento para falar um pouco sobre o manual. São 8 capítulos escritos versados em Estudos Básicos e Operacionais, Obras de Artes Especiais, Superestrutura da Via Permanente, Orçamento, Material Rodante, Manutenção, OAEs e Coordenação.

Os interessados em adquirir o livro devem entrar em contato com Shoshana Signer, Diretora da “Oficina do Texto”, (21) 99122-5676; ou pelo e-mail:  ofitexto@ofitexto.com.br. O livro contém 350p e o preço deve ser de  R$100,00. A obra pode também ser encontrada na livraria Consequência, Rua Alcântara Machado, 36 – sobreloja 210 – Centro-RJ.  Tel: 21-2233-7935

 

Centenário de duplicação da linha férrea da Serra do Mar

O segundo momento da apresentação ficou por conta do presidente da Associação Fluminense de Preservação Ferroviária, Antonio Pastori, que na ocasião, trouxe o tema: Centenário de duplicação da linha férrea da Serra do Mar (1914/2014).

Pastori ressaltou a grande importância do patrono da engenharia, engenheiro Paulo de Frontin, do projeto em construir túneis e das estações da Serra do Mar. Ele falou da duplicação dos 46 km da linha férrea daquela região, entre Japeri e Barra do Piraí e da grandiosa obra realizada pelo patrono da engenharia, com um tempo recorde para a época, 17 meses, sem prejudicar as operações normais dos trens que circulavam naquele trecho, nas direções Rio-SP e Rio-Minas Gerais, em 1914, com a linha ativa até os dias de hoje. Segundo Pastori, a obra continua sendo um exemplo de engenharia nacional.

As duas apresentações aconteceu na sede da AENFER com a presença do presidente da AFL Sávio Neves. Ele confirmou que o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) concluiu o processo licitatório de concessão pelos próximos 20 anos da exploração do Trem do Corcovado. O serviço continuará nas mãos da Esfeco, empresa que já atua desde 1979, mas ela terá a companhia da Cataratas do Iguaçu, que opera atualmente no Parque Nacional do Iguaçu. As duas formaram o consórcio vitorioso da concorrência, que assume o transporte ferroviário no próximo dia 9 de novembro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima