Secretaria de Transportes apresenta Plano Estratégico de Logística e Cargas

A Secretaria de Estado de Transportes (Setrans) apresentou na manhã desta terça-feira, dia 2/2, na Associação Comercial do Rio de Janeiro, os primeiros resultados do Plano Estratégico de Logística e Cargas (PELC). O objetivo do PELC é orientar políticas públicas para consolidar e desenvolver a rede logística no estado, visando maior eficiência e redução de custos. O trabalho, feito por técnicos da Setrans com o apoio do Banco Mundial, visualiza cenários de até 30 anos, incluindo estudos regionais, simulações, pesquisas junto aos usuários, entre outros estudos que possibilitarão identificar oportunidades e soluções para os principais gargalos.

“O objetivo do PELC é transformar o Rio numa plataforma logística de classe mundial. Nós temos uma localização geográfica privilegiada, um dos maiores portos da América Latina, e proximidade geográfica com os maiores mercados consumidores do Brasil. Isso possibilita que, com estratégia correta e investimentos em algumas áreas-chave, possamos projetar o futuro. O desembaraço de cargas e movimentação da riqueza do Brasil pelo nosso Estado é uma grande oportunidade no curto, no médio e longo prazos”, disse o secretário de Estado de Transportes, Carlos Roberto Osorio.

Entre os destaques do plano estão investimentos na via Dutra, a exemplo da construção da nova descida da Serra das Araras, a construção de pistas marginais na Baixada Fluminense e de terceira faixa no Vale do Paraíba. Na BR-101 o PELC aponta a construção da terceira faixa entre Niterói e Manilha, eliminando este gargalo histórico na região. Na questão ferroviária, o principal projeto é a EF -118, Ferrovia Rio-Vitória, que tem potencial de carga de 100 milhões de toneladas por ano. No setor portuário, os investimentos já contratados como a construção da Avenida Portuária, que vai conectar a Avenida Brasil e a Linha Vermelha ao Caju, abastecendo o Porto e também agilizando o acesso dos motoristas que vem da Ponde Rio-Niterói.

Uma das principais preocupações na estruturação e desenvolvimento do PELC é que o plano seja um plano de Estado, constituído, atualizado e discutido por toda a sociedade. Para isso, tanto no processo de coleta das informações, onde foram feitos seminários, oficinas regionais e reuniões em todas as regiões do Estado do Rio de Janeiro. Foram consultados os principais agentes logísticos e os usuários diretamente impactados pelos investimentos, para a identificação das necessidades logísticas na Região Metropolitana e demais regiões do interior fluminense.

“Em março o plano será entregue para o governador com a chancela do Banco Mundial. O primeiro ato será a criação do conselho gestor do PELC, formado pela iniciativa privada, representantes do Estado e da sociedade para que nós possamos deslanchar esse projeto e não deixar que esse grande planejamento se perca”, afirmou o secretário Osorio.

Fonte: Secretaria de Transportes, 02/02/2016 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima